Favela Amazonia

FAVELA AMAZÔNIA

UM NOVO RETRATO DA FLORESTA

Favela-Amazônia-2

Leonencio Nossa (texto) & Dida Sampaio (imagens)

Um terço da população das grandes e médias cidades da Amazônia vive em territórios do tráfico e com violações de direitos humanos. Nas periferias da maior floresta tropical, a qualidade de vida é pior que nos morros e nas favelas de Rio de Janeiro e São Paulo. O Estado encontrou uma nova realidade na Região Norte, onde máfias desviam cartões do Bolsa Família e da Previdência, grupos manipulam relatórios de vacina e mortalidade infantil e milícias tomam o espaço dos antigos pistoleiros. Diante do aumento do êxodo provocado por políticas públicas, a fronteira e a mata perdem moradores e os assassinatos de sem-teto nas periferias superam homicídios por disputas de terra. Em defesa de seus direitos, uma nova geração de lideranças sociais desafia poderes paralelos nos centros urbanos amazônicos.

A third of the population of large and medium cities of Brazilian Amazonia live in territories dominated by trafficking and human rights violations. On the outskirts of the largest tropical forest, the quality of life is worse than in the hills and slums of Rio de Janeiro and São Paulo. We found a new reality in the North, where mafias and other groups defraud social programs and manipulate vaccine and infant mortality reports, and militias have replaced the former gunmen. As consequence of the increase in the exodus of the population caused by the lack of public policies, the border and the forest lose residents and the assassination of homeless people on the outskirts outnumbers homicides by land disputes. In defense of their rights, a new generation of social leaders challenges parallel powers in the Amazonian urban centers. Read more.

Note: “O Estado de São Paulo” has the second largest circulation in the City of São Paulo, only behind Folha de São Paulo, and the fifth largest overall in Brazil. It is nicknamed the Estadão (lit. “Big Estado”). The journal was founded relying on republican ideals on January 4, 1875.